Translate

My MTB has DIABETES

Diabetes is something that cycling with me since 21 years ago, I’m 41. The blue O Project regarding the disclosure of diabetes disease associated with the practice of MTB, talking, discussing and to clarifying some aspects, from who has to deal with these two situations simultaneously.

RECUPERAR o controlo / Control RECOVER



Boas pedaladas,
Este foi o ano da blue O, solidificando cada vez mais o Projecto blue O!
 
Se em 2009 a ideia surgiu numa prova de BTT, o final de 2012 é garantido que além de pernas para pedalar, vamos ter de correr, nadar, escalar, saltar, andar...
As rotinas diárias de um diabético passam por ler a sua glicémia a cada refeição, quando surgem dúvidas, respectivos registos, a compensação de alguns descontrolos - incompreendidos muitas vezes - o cuidado na alimentação, as doses de insulina nas horas certas e uma dose certa de desporto; o manter-se activo, numa vertente amadora e pode mesmo ser em competição…

Se posso definir assim, pratico um amadorismo, competitivo comigo mesmo, sendo o BTT o desporto de eleição - daqui surge a blue O - mas desde sempre nutri o gosto pelo desporto de uma forma geral pelo que no início associei o nome blue O a um Projecto.
 
Para 2012 a Canyon Portugal cedeu-me uma LUX MR SL 9.0 para pedalar, "vestida com as minhas cores", defini maratonas maiores - dentro da minha capacidade de treino - como provas principais. Em Fev. sabia de passar a ser tratado na Unidade de Diabetes do Hospital Amato Lusitano, a fim de recuperar o controlo da minha diabetes em que o alvo era o de "atingir o pódio".
Desde o inicio do ano a blue O foi crescendo, Portugal, Espanha, Alemanha, Costa Rica na América Central são os países onde se poderão encontrar com um representante do nosso Projecto blue O, a prova tem sido as reportagens e fotos dos nossos Riders no blog (www.omeuBTTtemDIABETES.blogspot.com) e na recente página criada no Face book direccionada ao Projecto blue O. Já não há desculpa para não publicarem experiencias...
A revista Biking aventura de Maio desmistifica a relação; quem tem diabetes pode muito bem praticar desporto, defendo eu e muitos, é complemento do seu tratamento diário! Foi abordado o tema e escrevi um pequeno texto sobre o Projecto.
Ao longo do próximo ano espero que outros meios de comunicação acompanhem a evolução e consequente crescimento. Não vendo, dou entrevistas!

Parece-me que ainda não o disse, mas este foi mesmo o ano da blue O! Em Junho a Internacional Diabetes Federation (IDF) referiu a blue O no âmbito do World Diabetes Day como "HEROE of the WEEK" na sua página da internet - www.idf.org
Depois de um ano completo é com enorme satisfação que divulgo, fiquei a 0.1 unidades do pódio. RECUPEREI o controlo da minha A1c, um valor considerado quase controlado!
Referencias:
- 4-6 Não diabético
- 6-7 Diabético controlado
- 7 Diabético não controlado

No aspecto pessoal agradeço aos meus apoios e pessoas envolvidas e sobretudo a Novo Nordisk Portugal que por duas vezes, este ano, ajudou a minimizar os valores dos equipamentos solicitados:

Pedaladas boas e OBRIGADO,
Casf
 
 
English
Good cycling,
This was the blue O year, solidifying the blue O Project.
If in 2009 the idea came in a mountain bike race, the end of 2012 is guaranteed that besides legs to cycling we'll need to run, swim, climb, jump, walk ...
The daily routines of a diabetic goes through your blood glucose readings, every meal, when doubts arise, their records, offsetting some lack of control - often misunderstood - healthy food, insulin doses at the right time and a right sport doses; to stay active, amateur and may even be in competition...
I do amateur mountain biking, competing with myself, being MTB my choice as sport - from here comes the blue O - but I've been liked sports in general, there is way from the beginning I associated the blue O name to a Project.
For 2012 Canyon Portugal loan me a LUX MR 9.0 SL to ride, "wearing my colours", I set larger marathons - in my training capacity - as the main evidence. On Feb. knew I'll be treated in the Diabetes Unit from Hospital Amato Lusitano in order to recover control of my diabetes where the goal was "to reach the podium."
Since the beginning of this year the blue O grew, Portugal, Spain, Germany, Costa Rica in Central America are the countries where you can meet with one blue O Project representative, the proof has been the stories and photos of our Riders in the blog (www.omeuBTTtemDIABETES.blogspot.com) and the recent Face book page targeted the blue O Project. There is no more excuse to don’t publish some experiences...
The magazine Biking aventura magazine from May demystifies the relationship from who have diabetes may do sports, I and many others ...argue, is a complement to its daily treatment! It addressed the issue and I wrote a short text about the Project.
Over the next year I hope other media follow the development and consequent growth. I not sell, I give interviews!
It seems I didn't say already, but this was the blue O year! In June the International Diabetes Federation (IDF) posted blue O in the framework of World Diabetes Day as "HEROE of the WEEK" on its website - www.idf.org
After a full year with huge satisfaction I reveal, I was 0.1 units from the podium. I RECOVER my A1c control, a value considered almost controlled!
References:
- 4-6 non-diabetic
- 6-7 controlled diabetic
- 7 uncontrolled diabetic
 
Personally I thank to my supports and those involved, especially to Novo Nordisk Portugal that twice this year, helped minimize the equipment requested values:
- www.CANYON.com
- www.NOVONORDISK.pt
- www.VITARGO.com
- www.SNVLIGHT.com
- www.GARMIN.pt
- www.COFIDES.com
- www.AGMOTOSPORT.com
- www.RUTILVA.pt
- www.4and2IMPACT.com
- www.NEXPLORE.pt
- EcoSecO Castelo Banco
 
Thank you all and good cycling,
casf

Os ultimos de 2013

Boas pedaladas,

A cada pedido realizado, aparecem sempre mais interessados, para mostrar, bem trajados, o seu controlo para com a diabetes, mas nem todos sofrem do mal!!!

Refizeram pedidos, já que o "crescimento" é parte constante da vida!
Fernando Manuel de Santiago do Cacém.
Benjamim Morgado de Castelo Branco.


Carnaxide - Lisboa:
João Martinsdiabético tipo 1, com uma longa prática desportiva - corrida - tem a "coisa" bem controlada, recentemente iniciou-se no BTT e representou o Projecto blue O em Lisboa, aqui fica parte do relatório:
 

"Hoje foi dia de participar num movimento inserido nas comemorações do dia mundial da diabetes (14 Novembro), depois de um almoço composto por 4 porções de massa e um bife de peru grelhado e com a glicémia 138mgl, arranquei sem dar insulina em direcção ao Rossio, não pode deixar de passar pelos trilhos de Monsanto que são sempre muito bons.


Após a chegada conheci imediatamente os membros do Núcleo Jovem da APDP.

Na praça do Rossio havia bicicletas fixas para toda a gente pedalar para acumular km para mais tarde á noite iluminar a estátua de D. Pedro IV da cor azul, entre conversas sobre a diabetes com o pessoal do Núcleo Jovem APDP e com membros da própria APDP acabei por pedalar a um ritmo certo durante mais de 45 minutos, no fim fiquei com a glicémia 66mgl, estava assim dado o meu contributo.

Depois de me despedir de todo pessoal e de ter corrigido a glicemia com uma barra energética, pedalei em direcção a casa sempre pela margem do Tejo, cheguei a casa com a glicémia a 175mgl com a distancia de 30Km não contabilizando as pedaladas na fixa, toda as pessoas com quem falei pediram-me para falar um pouco sobre o Projecto blue O, com gosto falei e debatemos ideias, assim publicitei um pouco do projecto e toda gente adorou, Carlos Farinha (blue O) toda gente perguntou por ti.

Fico assim com o dever comprido e com isto tudo fiz o exercício físico ajudando assim o controle da minha diabetes.

Toca a mexer,
João Martins"



Albufeira:
Paulo Abreu, 44 anos, diabético tipo 1 há 9 anos, bastante activo, também se iniciou este ano no BTT.

 
 

O Paulo chegou até nós por um companheiro de BTT da sua cidade, este último com um primo de Lisboa que, não sendo diabético, gostando bastante do mesmo  pediu na última encomenda e o pôs ao corrente do Projecto blue O...

 
Coimbra:
Dinis Cascão, não diabético, é enfermeiro do INEM, tentei mete-lo dentro de um casaco tamanho L - chegámos à conclusão que precisava de treinar mais!!!


 Adere por extrema afinidade com a causa/doença, eis a sua história:
 
"Não me conhece, mas há dias quando pesquizava algumas temáticas na área da saúde, esbarrei no seu blogue e achei-o bastante interessante. Desde já como profissional de Saúde quero-lhe dar os parabéns pela iniciativa e originalidade de partilhar, através deste pequeno projecto, o seu testemunho como diabético. São estas iniciativas que valem mais do que inúmeras acções de educação para a Saúde organizadas, que muita gente assiste mas ninguém liga...
 
OBRIGADO,
DINIS CASCÃO
 
 

Lisboa:
Rafael Barata - não diabético - tem hereditariedade forte.

"Boas amigo, foi com grande satisfação que tive conhecimento deste grande projecto. Não sendo diabético mas lidando de perto com a diabetes via familiares directos, avó, mãe e tio...

A minha médica na medicina de trabalho já me alertou que estou numa potencial situação de risco devido à situação da hereditariedade e isso tem se reflectido nos exames. Gostava de fazer parte desta grande equipa mas não sei se não sendo diabético poderei.

Abraço,"

 
 
Bragança:

Paulo Reis, diabético tipo 1

"Gostei imenso do seu face!! Não só por ter uma canyon mas também por ter a mesma doença que eu!! "a diabetes" vou estar atendto!!

Abraços e boas pedaladas"

 
 
Diabéticos que também já interagiram com o Projecto blue O:
- Jefrey Avugui, Nairóbi - Quénia.
- João Raposo, diabético , Idanha-a-Nova.

- Luís de Matos, Santiago do Cacém, Profissional de Educação Fisica e Desporto é sensível, gostando de integrar o Projecto!
José Mª Ferreira, Lobito.
- José Pinto Leite, diabético, Santa Mª da Feira - da Associação Diabético Feira, e praticante de BTT pretende também desmistificar a doença associando-a ao desporto "andando de azul pelo monte", como refere.
- Paulo Jorge, Sintra, diabético desde os 3 anos de idade.


OBRIGADO a todos vós.
Pedaladas boas,
casf

14 Novembro 2012

 

Boas pedaladas,
 
Feliz dia mundial da diabetes, hoje é dado um incentivo à pratica de uma actividade regular para ajudar a controlar todas as consequências que podem advir com o passar dos anos.
 
Pedaladas do melhor,
casf

VIII Trilhos da Raia - Idanha-a-Nova


Boas pedaladas,



Nos Trilhos da Raia de 2011 iniciei-me nas maratonas maiores (76km), sem um treino regular temos de fazer para sobreviver.
Este ano repito, no entanto, serão 95km, aos quais só tenho referência pela Maratona internacional Trilhos do Lince de Março, com 98km percorridos em mais de 8h.
No próximo fim-de-semana em Idanha-a-Nova e porque me agrada particularmente é caso para dizer: "I will survive!"

http://www.youtube.com/watch?v=4Zet3eLu-ms

In 2011 on "Trilhos da Raia" I start with longer Marathons, without so much train, it’s difficult to survive.
I repeat this year, however, they increase for 95 km, I only have reference from international Marathon "Trilhos do Lince", in March, 99km for more than 8h.
Next weekend in Idanda-a-Nova and because I love too much, it's the right time to say "I will survive!"
 
Cycling Good,
casf


--- // ---
 
 
Boas pedaladas,

Como no ano passado, fui com o blue O Rider Francisco Lagarto, que veio de Évora na noite transacta, este ano esteve também o José Carlos de Coruche, na foto.

Levantamos os dorsais com algum frio no ar, cinzento, mas a querer "abrir". Este ano estiveram mais de 800 atletas mas só terminaram, pelas minhas contas, 718 de entre esses, nos três, cada um ao seu ritmo "controlamos a coisa" para acabar "finisher".
 
 


Os trilhos iniciais, quase sempre, são com pó, digo PÓ, mesmo muito PÓ!!! Com a afluência, os famosos single tracks de Proença-a-Nova ficam sempre num constante atropelo, sucessivas filas.

A 1ª Zona da Abastecimento foi perto de Medelim passados 27km, se o sol ainda não tinha aparecido aqui não faltava nada; sandes, frutas cortadas, bolos caseiros e industriais, água, bebida isotónica, sumos, as amizades, as fotos, o típico!

Limitado nas tiras reactivas - de três - uma não funcionou, aqui não medi e com a maratona maior na cabeça comi o suficiente e - julgo que este foi o erro - bebi um copo de sumo. Pedi para nos retratarem (o José Carlos e eu) e cada um foi ao seu percurso. Tentei acompanhar os amigos das voltas domingueiras, mas tenho um ritmo próprio de quem treina pouco, ando lento e com os quilómetros pela frente...
 
 
A chuva que apanhei foi daqui até aos penhascos de Penha Garcia, no entanto fui sendo OBRIGADO a parar com um sintoma de glicémia alta - poliúria - limitado pelas fitas a fim de comprovar o valor, fui pedalando para "queimar" mas com bastantes paragens, uma delas em plena descida para tirar uma foto ao "totem".
 



Ali ficou a observar quem passava, eu fui descida abaixo até me deparar com a 1ª "parede" na qual "consegui" passar por uma indicação que atravessava o estradão, com várias setas na direcção do caminho certo.
Fiz a subida toda à mão!
Lá em cima olhei à direita, esquerda, no chão e NADA!
Recorro ao SOS no qual me reiteram:
Passas-te, com toda a certeza, por cima das setas!
Mau??? Estava assim tão distraído!?
Talvez a pensar nos kms que ainda tinha para fazer, segui para a direcção correcta que nos levou ao bonito Parque Iconológico de Penha Garcia, neste local poderão ser observados algumas formações rochosas que guardam fósseis de seres pré-históricos, alguns com mais de 480 milhões de anos. Este local está integrado no percurso pedestre “Rota dos Fósseis” (igogo.pt).
 



 Por lá o sol escondia-se por trás de umas nuvens que já tinham molhado tudo e é quando os sons da natureza se evidenciam mais, fabulosos, até aves de rapina se ouvia. Sempre em sentido descendente de encontro aos penhascos que iam dar à pequena Barragem "Moinhos e Fosseis" com a sua cascata. As descidas bastante técnicas impunham alguma concentração devido à chuva que já tinha "regado" as pedras, FABULOSO!
 


Na chegada à 2ª ZA, metros antes, ainda parei com o sintoma de poliúria, chego e imediatamente verifico 40 mg/dL!!! Numa "regra de 3 simples" o pensamento imediato foi; isto está tudo maluco!!! Com receio, devido as paragens constantes, quase não tinha comido nada durante este trajecto mas na parte final já trazia fome de hipo... MUITO ESTRANHO, pensei.


Sem público (estava uma dupla a sair) informaram-me que era o ultimo, "boa, agora tenho o carro à perna"! Chega um rapaz montado num "frame" Land Rover - ultrapassei-o no início das descidas ingremes - e logo me colei para não ficar para traz, "gato molhado de água fria tem medo". Comi de tudo claro, a mesa foi praticamente só para mim!

Tentando não descolar um do outro fomos em direcção a Idanha-a-Velha onde decorria a festa do Casqueiro, durante este recorrido larguei os manguitos, o sol mostrava-se com disposição de aquecer o ambiente e bem que suei, com as pernas já marcadas pelo cansaço tivemos por largos períodos o "picanço" do carro vassoura, ao mesmo tempo que o acumulado de pó nas correntes fez com que a pedaleira mais pequena do meu camarada deixa-se de entrar.


Em plena festa, tive alguns aplausos, onde registo 72 mg/dl. A minha disposição para comer já não era muita, confesso que só o fiz por necessidade. Um elemento feminino da Organização comentando-lhe o sucedido até à 2ª ZA reconheceu-me. Gostei particularmente quando me disse "há, és o blue O"!!! Eis que chega o meu companheiro e me comenta o seu percalço com as mudanças.


Saímos em direcção ao trajecto conhecido de outros anos, em pleno coração do Festival Boom na Barragem Marechal Carmona, bastante vazia permitiu-nos desfrutar dos single traks distríbuidos nas suas margens. As subidas a Idanha-a-Nova este ano foram mais PUXADAS. Terra, alcatrão e para finalizar, a calçada romana da Srª da Graça, feita à mão para melhor contemplar a sua beleza e características arquitetónicas!!!


Oficialmente após 8:27:03h chego ao local de partida na posição n. 233, tive para levantar a bike em sinal de vitória mas não vi fotógrafos. O aplauso da rapariga da ACIN, com quem tinha falado na última ZA, foi suficiente para me encher os músculos das pernas, dos braços, os lombares e as palmas das mão cheios de ORGULHO!

Do meu GARMIN:
Distância: 94,99km
Tempo: 8:26:40h
Veloc. Média: 11,2km/h
Ganho de elevação: 1.914m
Calorias: 3.416C
128 mg/dL


Pedaladas boas,
casf
 
 
English
 
Good cycling,
Like last year, I went with blue O Rider Francisco Lagarto, who came the night before from Évora, this year was also José Carlos from Coruche, in the picture.
It was a chill air when we raise the dorsal, a little gray, but ready to "open". This year over 800 athletes were present, but not all finished, by my count, only 718, we three, at our own pace "controlling the thing" to ended finisher.
 
 
Initial tracks, are always dusty, I say DUSTY, really DUST!! With the influx, the famous Proença-a-Nova single tracks are always in a constant hustle, successive rows.
 
 
1st Supply Zone was near Medelin village, after 27km, if the sun had not yet appeared nothing was missing here; sandwiches, cut fruit, homemade cakes and industrial, water, sports drink, juices, friendships, photos, the typical in this situation!
Limited in blood test strips - only 3 - one didn't work, so I did not measure, with the largest marathon in mind I ate enough - I think the mistake was this - and I drank a glass of juice. I asked to portray us (Jose Carlos and I) and each went to his course. I tried to keep up with my cycling Sunday’s friends, but I have a particular pace from who didn't train so much, I cycle slow and with the kilometers ahead...
 
The rain I picked up was from here till Penha Garcia cliffs, however I was forced to stop, with high blood sugar symptom - polyuria - limited on blood test strips to control my value, I cycling to "burn" but with enough stops, one in a full descent to take a picture to the "totem".
He stay there watching by, I went down below till I see the 1st "wall" on which I “go through” an indication that crossed the road, with several arrows towards the right path. I made the climb all by hand! I looked to the right, left, down and NOTHING! I turn the SOS which they respond:
You raisin up, for sure, over the arrows!
Not ok??? I was so distracted!?
Perhaps thinking over the kms I still had to do, I follow the right direction that took me to the beautiful Iconological Penha Garcia Park, on this site can be observed some rock formations that hold fossils of prehistoric creatures, some with more 480 million years. This site is integrated into the pedestrian "Fossils Trail" (igogo.pt).
 

 
The sun was hiding behind clouds that already wet the ground, there is when the sounds of nature are more evident, fabulous, even prey... birds are heard. Forward down the cliffs to a small dam "Moinhos e Fosseis" - "Fossils and Windmills" with a waterfall. The very technical descents impose some concentration due the rain that had "watered" the stones, FABULOUS!


Just arrived 2nd SZ, I stopped with the symptoms of polyuria, immediately I measure 40 mg/dL!!! Direct thought was, this is all crazy! With fear, because the constant stops almost hadn't eaten anything during this journey but in the end I brought "hypo hunger"... VERY STRANGE, I thought.


Without public (I see two riders leaving) they tell me I was the last one, "good, now I have the car on my legs", I thought! Just arrives a boy riding a Land Rover "frame" - I overtake him at the beginning of descents - and attach it to him to don't stay behindhand, "wet cat fears cold water." I ate from all, of course, the table was pretty much just for me!
 
Trying not to detach from each other we were direction of Idanha-a-Velha village, where the Casqueiro Festival, I take off my cuffs, the sun showed up pretty warm, with my legs already marked by tiredness, for extended periods we had the Organization car "pushing for us", while the powder accumulation in the chains caused some technical problems with smaller crank to my buddy.
 
 
Already in the village I had some clapping, where I register 72 mg/dL. My willingness to eat wasn't any, I confess, I only did it out for necessity. A female Organization member, that I told her what had happened till 2nd SZ, she recognized me. I especially liked when she said "you're the blue O"! At that time my companion arrived told me his problems with gears.
 
We went towards the route known from other years, in the "heart" of Boom Festival in Marechal Carmona Dam, quite empty, enabled us to enjoy the single tracks distributed in its margin. The climbs to Idanha-a-Nova, this year, were PULLED OVER. Earth, tar and finally, the Roman walk from Srª da Graça, upped by hand to better contemplate its beauty and architectural features!
 
 
Officially 8:20:47h after I get to starting point at 233 position, I almost lift the bike in victory signal but I didn't saw any photographers. The applause from ACIN girl, I had spoken in last SZ, was enough to fill my legs and arms muscles, lower back and hand palms with full of PRIDE!
 
From my GARMIN:
Dist: 94,99km
Time: 8:26:40h
Veloc. Average: 11,2km/h
Up increase: 1.914m
Cal: 3.416C
128 mg/dL


Cycling good,
casf

Trilhos da Cortiçada: Rota dos Resineiros - Proença-a-Nova

Boas pedaladas,



O prólogo desta crónica vem desde Julho, altura em que passei a novo esquema de insulina. De mista e rápida passei a uma basal e ultra rápida.
 
As medições passaram a ser mais regulares, o "tino" na boca está sempre a ser "educado", para evitar ser "mal comportado", enfim tentar ser um diabético o mais controlado possível, evitando desta maneira as complicações de uma doença crónica, ficando apto a viver até aos 100 com a maturidade de 25 anos! Pois claro!!!
 
De manhã com um valor inexplicavelmente elevado (à ceia com 132mg/dL e uma normal ingestão de 2/3 HC, a insulina basal não actuou como normalmente) às 6:30h, dei uma dose de insulina inferior ao normal, para o valor em questão. Ao pequeno-almoço variei num aspecto; café "home made" com leite e umas torradas de broa de milho com manteiga, incluindo duas colheres de farelo de linhaça na bebida. Às 8:30h volto a medir e continuava alto, fiquei na dúvida; "tomei, não tomei, esta coisa da linhaça é upa, upa!!!"
 

Enfim, com o "briefing" a começar dei 2 unidades para ir "ultra rápido" mas ainda trinquei uma pera. O percurso dos 35Km foi o mais frequentado, no meu caso, para os 50Km, os primeiros 25km foram um constante "partir de pernas" durante a longa subida foram poucas as descidas, porque estava calor os pinheiros com quem os resineiros trabalham ajudaram a mitigar esse efeito, hoje em dia os eucaliptos também abundam por essas bandas.


Por volta do km 15 comecei a trincar uns HC, acompanhado de bebida isotónica - VITARGO Electrolyte "low concentrade" devido aos valores de glicémia desde o peq. almoço, aproveitando para tirar uma fotos à deslumbrante paisagem desta Rota.
 
Com dois elementos do Riomaior Btteam (Paulo Santos e João Nunes) chegamos à 1ª Zona da Abastecimento, já estava a mesa pronta para muitos e era dia de festa, pelo que vi: batata frita de pacote, bolos secos caseiros, porções de marmelada cortadinha, amendoins, bananas, laranjas, sandes várias, cola verdadeira, sumos, água, tudo fresco...
 
 
Questionaram-me se queria o copo cheio (coca-cola), já estava a proceder à medição, respondo;
"Digo já, depende do valor.
Ah, estas a medir o açúcar!
Estou a ver... Olha sim, pode ser o copo cheio!!! 49mg/dL.
Epá isso é baixo não é?!
Sim, foi de nos terem rompido as pernas até aqui, em mim revela-se neste aspecto, por isso tenho de ir controlando de vez em quando, até porque não estava a ter os principais sintomas, influência das últimas descidas até aqui, certamente, se fosse em subida!
Humm, isto é marmelada, não é? E estes bolos são bons? "Que rica pinga", mesmo fesquinha..."
O resto já se sabe!
 

Despedi-me dos companheiros do Rio Maior e fiquei para recompor um pouco, pus uma banana no bolso, água e saí de "mansinho" até porque era para subir!
 
Ser resineiro não era e não é trabalho fácil, os 10 kms que separavam a 1ª e a 2ª ZA, esta ultima na praia fluvial de Ermida, antes de lá chegar comi a banana, dei mais uma dentada na minha barra VITARGO Protein, perdi-me, acertei ao caminho, ajudei a retirar um pneu para remendar, e cheguei à zona de single traks, especialmente aberto pelos PÊNÊVÊS. A determinada altura tive de por em prática as minhas qualidades de fotografo que usa o telefone para me auto retratar em plena travessia, reconstruída para esta Rota.

 




 
Já perto do final subimos, SUBIMOS até uma localidade chamada Malhadal, cansado, tive de parar para estirar os músculos, aproveitei para tirar uma foto das vindimas (atenção à proporção: parra / uvas).
 
 
No meu rescaldo foi uma prova  5 estrelas; Organização, detalhes do percurso, marcações, abastecimentos, banhos, almoço (buffet na estalagem de Proença-a-Nova), pelo valor é difícil de igualar. PARABÉNS.
 
Dados do GARMIN;
Distância 46,29km em 17 lugar num total de 23 finishers
Tempo total 4:41:30h
Calorias consumidas 2.149
RC média 142
127mg/dL
 

Pedaladas boas,
casf


English


Good cycling,

This chronicle prologue has since July, when it change my insulin regimen. From mixed and quickly I went to a basal and ultra fast insulins.

The measurements have become much more regular, a mouth "behavoir" avoid being "badly", trying to be a controlled diabetic as possible, thus avoiding the complications of chronic illness, being able to live till 100 with a maturity of 25 years! For sure!!!!

Morning with a inexplicably high value (the night before with 132mg/dL with a normal intake of 2/3 HC, basal insulin did not act as normally) at 6:30am, so I took a small shot of insulin. For breakfast I change one aspect; coffee "home made" with milk and some toast corn bread with butter, including two tablespoons of flaxseed meal in the drink. At 8:30am I check and was high again, I was in doubt; "took, I didn't take this thing of flaxseed is up, up!!!"

 

Anyway, with the event briefing I get 2 units to go "ultra fast" but still clenched a pear. The 35Km route was the most attended, in my case, 50Km, the first 25km were a constant "brake legs" during the long climb were few declines, because of pine trees with the "resineiros" work with, they helped to mitigate the heat efect, today eucalyptus are to mush too.

Around 15km I started biting some carbs, with isotonic drink - VITARGO Electrolyte "low concentrate" due to blood glucose values from breakfast, taking the opportunity to take some photos from the stunning scenery of this Rota dos Resineiros (name to professional who work with pine trees, taking the resin, in Portuguese is "resina").
 

Together with two elements from Riomaior Btteam (Paulo Santos and João Nunes) we got the 1st Supply Zone, the table was already waiting for us, from what I saw: crisp, dry cakes homemade, marmalade portions, peanuts, bananas, oranges, various sandwiches, real coke, juices, water, everything fresh ...

 
 
Asking me if I wanted a full glass (Coca Cola), I was already measuring, I say;
"I say now, it depends on the value.
Ah, you're measure the blood sugar!
Yes... Ok yes, the cup can be full!! 49mg/dL.
Hauch, this is low, isn't it!?
Yes, it was because we've "broken the legs" till here, in me it have this consequences, so I must control regularly during the event, much because I was not having the similar symptoms, influence from last declines, if it was uphill!
Humm, that is marmalade, right? And these cakes are good? "nice drink" still coold... "
The rest you already know!

I say good bye to Rio Maior riders to stay and rest a bit, I put a banana in my pocket, water and I leave "quietly", it was to climb up!

 

Being "resineiro" was not and isn't easy work, the 10km separating 1st and 2nd SZ, this last in the river beach from Ermida village, before getting there I ate a banana, took another bite of my VITARGO Protein bar, I lost, hit the road again, helped remove a tire to patch, and arrived to single tracks area, especially open by PÊNÊVÊS. At one point I had to put in practice my photographer qualities, which uses the cell phone, to portray me in full auto crossing, rebuilt for this Rota.

5km to finish line we still climb, CLIM to a village called Malhadal, tired, I had to stop and stretch my muscles, I take a photo "vine season" (attention to proportion: vine / grapes).

At the end my opinion ir a 5 stars event this Rota dos Resineiros; Organization, route details, markings, supplies, baths, lunch (buffet at Proenca-a-Nova Inn), all for 15€ is hard to match. CONGRATULATIONS.

From my GARMIN;
46.29km distance in 17 place, from 23 finishers
Total time 4:41:30h
Calories consumed 2149
RC average 142
127mg/dL
 
Cycling good,
casf

Histórias do blue O Rider Pedro Felício

Boas pedaladas,

Deixo-vos o relato da poção mágica do blue O Rider Pedro Felício de Aljustrel:

"Quero partilhar contigo uma nova experiência...
Depois de muito me terem aconselhado eis que hoje o fiz...
Leite de soja (utilizei o de cálcio , um pouco mais doce que o leite soja normal, este quando temos os níveis um pouco mais altos é melhor porque praticamente não tem açúcar nenhum), se tiver os diabetes um pouco altos (para fazer desporto considero alto um valor acima dos 210/230) dou duas unidades de insulina rápida e tomo esta bomba nutritiva e de baixo nível glicémico, ou seja de absorção lenta...

Passo a dizer...
Faço meio litro de leite de soja com uma banana partida aos bocados + 5/6 colheres de aveia, misturo tudo e fica um batido saboroso e altamente nutritivo, tomei 15 minutos antes de andar (e hoje foi no duro), ao fim de uma hora e meia, a pedalar bem, sentia-me com eles regularizados, mas optei por medir, ao fim de uma hora e meia tinha um valor de 134, optei assim ainda por comer um cubo de marmelada e fui molhando a boca aos poucos num total 3h a pedalar com o sponser long energy ao fim das três horas com um cubo de marmelada e um cantil de sponser medi e estava com 157... Óptimo

A volta deu 72km com uma altimetria de 1764 de acumulado, daqui a pouco e devido ao cansaço tomo metade do meio litro que fiz do batido e fico no ponto!"


Pedaladas boas,
casf

Meia Maratona do Porto

Boas pedaladas, ou  melhor, corridas,
 
Deixo-vos o relato do nosso blue O Rider, neste caso na Meia Maratona Cidade do Porto no último fim de semana, 16/09.
 
 
 


"Já está, Meia Maratona Sport Zone concluída e com um valor abaixo das 1:50:00, logo não podia estar mais satisfeito com esta 1ª experiência. O dia começou pelas 07:50h, banho e pequeno almoço tomado e valores matinais 100mg/dl, reduzindo 2 doses.
 
Arrancar para ir buscar o meu companheiro destas aventuras Pedor Poças. Chegada junto à zona da meta pelas 9:00h, apanharmos o transporte para a zona de partida “Ponte do Freixo”, chegando lá pelas 9:30h. Pequena caminhada para descompressão e respetivo aquecimento antes do início da prova, juntamente com a ingestão de líquidos, uma barra energética e uma banana…
 
A partida foi dada muito perto da hora prevista, o que é sempre positivo nestes eventos. A prova correu bem, com a passagem pelo 1.º Checkpoint (+/- 7km) com 00:32:46 e 2.º Checkpoint (+/- 14km) com 01:04:30, com a ingestão de líquidos em todos os abastecimentos e a ingestão de uma barra energética parcial, antes de todos os abastecimentos, excluindo o ultimo. Os últimos 4km foram penosos, já com algum cansaço nas pernas e baixando o ritmo, lá fui até à meta, com esperança que conseguia terminar a aventura sem qualquer percalço.
 
Finalizei a prova com 1:43:24, tempo liquido. Reposição de alguns líquidos após a prova e medição dos valores de glicémia, resultado 122mg/dl, excelente!!!
 
Agora repor energias e treinar para daqui a duas semanas participar na Rock ‘n’ Roll Portugal Meia Maratona em Lisboa ;) Agradeço em especial ao Pedro Poças pela companhia e apoio, ao Projecto "blue O" e à Marlene Lopes por toda a força e amor que me tem dado sempre :)"
 
Obrigado Sérgio por partilhares connosco, os teus valores deixam-me azul blue de inveja!!!
 
Corridas boas,
casf


Jerseys de alguns blue O Riders

Boas pedaladas.
 
Com gosto publico as novas caras dos blue O Riders...
 
Alguns repetentes vestem agora o calção, ficando assim mais blue, mas atenção, como já disse antes, ser Rider blue O é também no espírito...
 
Ser-se um blue O é partilhar as experiências e contribuir deste modo para um melhor entendimento de uma patologia, já de si algo complicada de compreender.
 

João Nuno, recuperado de uma clavícula, é vê-lo passar a imagem blue O.



 
Alberto Mora morador na Costa Rica - América Central, esperou uma semana e o carteiro entregou-lhe o que agora passará a representar a sua DIABETES Tipo 2.
 
 
 
 
Pedro Felicito orgulhosamente vestido relatou: "de volta à terapia dos nervos". Carrega!!!

 
 
 
Paulo Martins, não é diabético, representa aqui a sua simpatia ao Projecto blue O.
 
 
 
 
Vicente Alventosa e o amigo Ricardo (com diabetes) em terras de Espanha - Valência.
 

 
 
 
Sérgio Moreira o nosso triatleta; trail, triatlo e BTT. Estreou o "tri fato" no Triatlo de Esposende em Julho de 2012.
 
 
 
 
 

Bruno Morais, repetente a estrear os calções, melhor, a exibir os mesmos...


 
 
Hernâni Duarte publica-nos no Face o seguinte "Os meus parabéns pela iniciativa e pelo BTT. Eu também faço BTT e tenho diabetes". Todo o espírito blue O.

 

 
Segue-nos também nas redes sociais onde são colocadas publicações com carácter elucidativo na compeensão da diabetes, poderei dize-lo; world wide...
 
Novos pedidos "já andam a treinar", a pedalar...
Pedaladas boas,
casf