Translate

My MTB has DIABETES

Diabetes is something that cycling with me since 21 years ago, I’m 41. The blue O Project regarding the disclosure of diabetes disease associated with the practice of MTB, talking, discussing and to clarifying some aspects, from who has to deal with these two situations simultaneously.

TRANS... (Maratona X50 de 2010 formato passeio) (X50 Marathon from 2010)

Boas pedaladas,

Este passeio foi, no meu entender, uma espécie de Geo Trans...

Às 8h saímos sete magníficos. O menos preparado era eu!

A chuva aliada à temperatura de Primavera realiza estas transformações na natureza, uma verdura na sua máxima força, por aqui descemos, ficando nas pernas várias “massagens” - arranhões.

Ao km 10 a primeira TRANS... de ribeira, pelos joelhos, vos digo, acusei uma ondulação com “vagas” baixas mas... Lá no cimo do monte passados uns 15 km tiramos a “foto split”, 3 para o X100 de 2010 (João Valente e Fernando Micaelo com as gêmeas Treks e Agnelo Quelhas) nós (Nuno Diaz, Falcão / Hamk o Abílio Fidalgo e eu) para o “pretendido” X50 de 2010, isto porque...

Recorrendo aos GPS’s que nos acompanhavam o trilho era “sempre em frente”, mas depois de outra vertiginosa descida (todos eles desciam como os reis do trono do DH) constatamos que o rio a “TRANS…PASSAR” seria complicado, até pelo paredão. O Nuno, aventureiro, deu dois passos e pela profundidade e força da corrente seria impossível TRANS…PASSAR.

Inversão no trilho, ascendemos a “parede” que antes descemos, como sou leve subo sem muitos problemas (até me dar a hipo), lá no topo atirei-me à banana que transportava, para manter os níveis de açucar estáveis.

Aí o GPS foi posto a encontrar alternativas, seguimos, tendo oportunidade para divulgar e manter contacto sobre o Projecto blue O. Estes 3 parceiros, sempre atenciosos, foram “respeitando” o meu andamento mais lento, sempre com a atenção de não descolar das suas rodas.

Já referi este pormenor antes; como não sabia o percurso, possíveis paragens e os kms a fazer, “perdi-me” um pouco na ingestão de Hidratos de Carbono.

Foi interessante por isso mesmo, é o verdadeiro pedalar pelo prazer de o fazer, concordo contigo Falcão, como levei um GEL super calórico fui começando a sua ingestão aí pelo km 25, pouco de cada vez, passando também por uma barrita normal de mercearia durante o percurso.
Chegando a outra TRANS…POSIÇÃO de ribeira o Nuno, novamente, confirmou com 3 passos que por ali era muito fundo, já estava pela cintura, vai daí, com o meu olho de lince, vejo um “spot” mais baixo, ainda bem, pois no meio do mesmo, bem lá dentro, com a bike no alto dos braços, mandei um “encarpado” para o lado esquerdo, molhando-me dois terços do corpo, equipamento incluído.

Na outra banda foi o Nuno que me emprestou um Jersey de Inverno, já o GSP estava a indicar outra subida a trepar que nos levou à localidade do Barbaído (no meu secundário, conhecido por “centro do Mundo”).

Ao passeio intitulei-o de TRANS… pois foram três transposições de rios que efectuamos, antes de chegarmos à localidade do Juncal tivemos oportunidade de molhar novamente as pernas, sim porque não há 2 sem 3. O gel (só 1) foi sendo ingerido regularmente com bastante H2O até chegarmos ao Juncal. A partir daí situei-me em relação aos km que faltavam para o fim do percurso (60km, umas 5h, várias alterações de percurso e 3 passagens de ribeiras bem altas e um banho no meio de isto tudo).

O meu muito obrigado a estes três amigos, a blue O vai ponderar se tem pedalada para mais um TRANS… este ano. Alguém me sabe dar a confirmação de quando é que o sol vai começar a torrar!

Pedaladas boas,
casf


English...

Good rides,

This track was, from my point of view, a kind of Geo Trans...

At 8am the Magnificent Seven leave. I was the less prepared!

The rain combined with spring temperatures carries out these transformations in nature, greenery at its full strength, getting the legs with several "massages" - scratches.

After the first 10 km 1st TRANS... of a small river with water to the knees. On the top hill, after 15 km we took a "photo split”, 3 for the X100 Marathon from 2010 (João Valente and Fernando Micaelo with Trek twins and Agnelo Quelhas) us (Nuno Diaz, Falcão / Hamk, Abílio Fidalgo and me) for the "intended" X50 Marathon from 2010, but...

Using the GPS's we followed the trail "always straight", but after another dizzying descent (all of them down like DH throne kings) we found the next river to "TRANS...POSITION" would be complicated. Nuno, adventurer, took two steps into the river and from the depth and river current strength would be impossible TRANSPOSITION on that spot.

Track inversion, we ascend the "wall" that before we go down, as I'm light I climb without too much trouble (if I don’t get one hypo), on the tope I toke a banana that I carry to keep blood sugar levels stable.

We put GPS finding alternatives, we follow, given the opportunity to communicate and keep in touch about blue O Project. These three friends always careful, not to move away off their wheels.

I mentioned this detail before, because I did not know the route, stops and possible kms to do, I "lost myself" a little, intake of carbohydrates.

Therefore it was interesting, it’s the real ride for the pleasure of doing so, I agree with you Hawk, as I leave with me a super caloric GEL I started by the 25km taking a little at the time, and a normal grocery cereals bar during.

Arriving at another TRANS...POSITION riverside it was Nuno, again, that confirmed with three steps in there was very deep, with the water by the waist, then, with my “eagle eye” I see a lower spot, thankfully, because in the middle of it, with the bike on the top of my arms, I literally dip into, wetting two thirds of my body, equipment included.

In the middle of some laugh (it was the first time that we ride together) on the other side was Nuno who lent me a winter Jersey, since the GPS was indicating another ascent to climb that took us to Barbaido location (known, affectionate, as the "center of the World").

I titled TRANS... because they were three rivers transpositions that we make, before we reach Juncal village we had the opportunity to once again wet our legs (in Portugal we say: there aren’t two times without a third one. The gel (only one) was regularly eaten, with plenty of H2O, until we get here. From there I “place” myself regarding the missing kms to the end of it, reaching Castelo Branco city (60km, around 5h, several route changes and three rivers crossings and a bath in the middle of all).

My special thanks to these three friends, the blue O will consider whether to have another TRANS... ride this year. Is there someone how can give me the confirmation when the sun will start to “burn”?!

Rides good,
casf

1 comentário:

  1. Boas amigo Carlos... como ainda nao tinha tido muito tempo, só hoje estive a ler a cronica da aventura TRANS e tive de esboçar um sorriso perante a visão de um super mergulho em estilo encarpado...ehehehe a malta só se ri do mal!
    Apesar de no meu caso ser por pouco tempo a tua companhia foi apreciada. Aparece mais vezes! Um grande abraço

    ResponderEliminar