Translate

III Trail Running Vila de Nisa


Boas corridas,

Em jejum a “máquina” estava em falência, 59mg/dL. Comi o necessário e o consciente para não fazer disparar a glicémia, mesmo que a cabeça às vezes mande “aspirar” a mesa do pequeno-almoço, sobretudo numa hipo. Dei a dose necessária de rápida para a contagem de hidratos ingeridos, isso sim, reduzi a basal e preparei a diluição do Vitargo Electrolyte.

Eu e o meu amigo Zé Amaro saímos no nosso ritmo e foi o melhor que fizemos, iam ser 3 subidas seguidas à Serra de São Miguel e eu avisei-o, “guarda-te para o final”...

Os abastecimentos foram sempre fartos e alegres, é um hábito alentejano, perguntavam pelas reações ao percurso, eu gostei bastante, algo técnico mesmo sem um trilho por entre uma linha de água ou precisamente no meio da ribeira, tinha partes muito bem trabalhadas e um “toque especial” para provavelmente fazer parte do circuito nacional nas pequenas distâncias, este dos 30K.


Aí pelos 15K, numa subida, medi 153 mg/dL, a diluição do Vitargo Electrolyte a barra Vitargo Endurance, os abastecimentos, “aspirei” de tudo; batatas fritas, bolos caseiros, boleima, metades de banana, laranjas, coca-cola, água e frutos secos recomponham a fadiga que se ia acumulando...


A prova este ano foi mais dura, consegui fazer menos das 5h, alcancei esse objetivo porque me “colei” ao relógio, não querendo, mas porque não tinha cãibras!

Corridas boas,
casf

Sem comentários:

Enviar um comentário