Translate

My MTB has DIABETES

Diabetes is something that cycling with me since 21 years ago, I’m 41. The blue O Project regarding the disclosure of diabetes disease associated with the practice of MTB, talking, discussing and to clarifying some aspects, from who has to deal with these two situations simultaneously.

O início do projecto blue O

Olá,

Espero que as vossas pedaladas estejam de boa saúde!

Eu decidi iníciar aqui no FORUM (na altura), uma crónica (hoje, um blog), digamos assim, sobre as minhas pedaladas e a "situação" que tenho de saber lidar, que é o de ter diabetes Tipo 1 (insulino dependente).

Desde já, para aqueles que andam sempre à caça de novos artigos para ler, emendar, criticar (construtiva e negativamente) e confratenizar, desde já um até logo.

Entretanto, se virem a minha apresentação, poderão saber um pouco mais de mim, além de ser de Castelo Branco.


Foi assim que me apresentei:

Sou o Carlos (casf), nascido e vivo em Castelo Branco.
Desde miúdo que ando de bike.
Comecei com uma BMX "híbrida" com 2 amortecedores (de molas!) atrás. Coisa seria, ainda hoje guardo peças dessa bicicleta!!!
Com o passar dos anos passei ao ”mountain bike” propriamente dito (bicicleta rígida), isto talvez aquando da sua “descoberta” na América do Norte, já lá vão uns anos!
Acompanhando o meu crescimento, já tive o prazer de andar de bike num dos países mais aficionados a este meio de transporte (não, os chineses não), os holandeses. Caricato para mim, até experimentar, foi vê-los andar com guarda-chuva aberto, mas atenção, com neve só mesmo os holandeses, eu, caí na primeira curva!
Actualmente pratico o BTT, preferencialmente XC, por ser a 1ª paixão e por motivos de saúde pois sou O (diabético).
Se me virem parado por aí, a comer, estou com uma hipo!


Posso dizer que foi há uns 15 anos atrás que passei a ter de lidar com a diabetes.

Os meus 60kg da altura, de uma semana para a outra, passaram a 48kg.

Uma fome voraz, sede insaciável, um urinar incontrolável, hoje sei que com uma hiperglicemia (nível de açúcar ALTO no sangue), neste estado, o objectivo prioritário é um WC!!!

Nessa semana em que já não foi preciso fazer a curva da glicemia, nessa manhã, na urina o açúcar já era revelador do que aí vinha, ainda hoje me lembro de uma volta que dei e as cãibras me assolaram as pernas cá de uma maneira!

A minha visita em Coimbra num especialista for bastante emotiva, enquanto ouvia o, ainda meu médico, e todas as suas indicações - para o resto da minha vida - os meus pais tinham a emoção nos olhos...

Acatei tudo e nunca me fez impressão por a insulina (para muitos insulino dependentes este problema das picas diárias é bastante constrangedor, mas se não o fazem os hidratos de carbono ingeridos não se transformam).


Pedaladas boas,
casf

Sem comentários:

Enviar um comentário