Translate

My MTB has DIABETES

Diabetes is something that cycling with me since 21 years ago, I’m 41. The blue O Project regarding the disclosure of diabetes disease associated with the practice of MTB, talking, discussing and to clarifying some aspects, from who has to deal with these two situations simultaneously.

VI Trilhos da Raia 17/10/2010





Boas pedaladas,

O desleixo da noite anterior com hidratos calóricos, a mais, pensando eu que na manhã dos Trilhos da Raia os iria consumir com o esforço despendido fez-me acusar 250 mg/dL em jejum. Upa! Upa!

O breackfast, sumo de laranja 100%, leite com chocolate em pó, uma “sandocha” de queijo fatiado e um croissant ao estilo português, enfezado e comprado em pacotes de 6 ou dozes unidades “roubado” aos miúdos cá de casa, foi acompanhado de uma redução na doze de insulina habitual.

Chego à “garage” e a trompete de Miles Davis toca o seu Round Midnight, isto na Antena 3, inédito para mim, mas muito do meu agrado, tivesse eu rádios só de jazz.

O sol esteve em força, assim como os 700 bikers aos quais me juntei para marcar presença na vila de Idanha-a-Nova.

Cumprimentei Marco Chagas quando me dirigia para recolher o meu dorsal 370, também estava presente é verdade e tanto quanto sei apadrinha esta prova tem alguns anos, já conhecida a nível nacional pela sua referencia em todos os sentidos; organização, percurso, abastecimentos, marcações, instalações, banhos, volto a frizar, conhecidos a nível nacional.

A hipo não apareceu a contrastar com as câimbras, quanto a mim e já não é a primeira vez que me acontece, sinal de açúcar a mais no sangue. Depois do abastecimento em Idanha-a-Velha foram mais de cinco e menos de 10 paragens para esticar os músculos das coxas.

Das ultimas vezes que parei para “aliviar” o reto femoral e o vasto médio e também o bíceps femoral as suas contrações fizeram-me adotar posições do mais ridículo, pois, entre o contorcionista de circo e o mestre ioga estava eu, o blue O “developer”.

Como em qualquer dieta, o pouco, várias vezes ao dia é um bom remédio para evitar este tipo de situação. Não fosse eu “ganancioso”, não querendo ter uma hipo para não quebrar o ritmo, quebrei-me de tantas vezes ter de parar voluntariamente para esticar os músculos!

No final já depois do banho medi novamente a minha glicemia e para meu espanto registrei um valor de 89 mg/dL. Vá-se-lá perceber a diabetes!

Pedaladas boas,
casf

Sem comentários:

Enviar um comentário