Translate

My MTB has DIABETES

Diabetes is something that cycling with me since 21 years ago, I’m 41. The blue O Project regarding the disclosure of diabetes disease associated with the practice of MTB, talking, discussing and to clarifying some aspects, from who has to deal with these two situations simultaneously.

PT Open XCR 24H 3ª etapa Proença a Nova


Boas pedaladas,


Foi debaixo de um calor abrasador, em determinadas alturas mais que outras, que se realizou a 3ª Etapa do PT Open XCR desta vez em Proença-a-Nova, casa da Horizontes, eu fui às 6 horas e pelas quatro já só queria fazer deslocar os ponteiros do relógio para a frente.

Um percurso que exigia força de braços e pernas durante quase todos os "traks" muitos deles "singles" com descidas técnicas, passagens entre os pinheiros - ainda me abracei a dois - por entre os muros das casas de xisto e nas traseiras de outras tantas, nas várias subidas íngremes que nos obrigavam a projetar o corpo para a frente, agarrando com exagero no volante e "apêndices", daí as minhas dores nas mãos, imprescindível a troca dos atuais punhos...



Em 2005 Proença-a-Nova foi a minha 1ª presença em provas de BTT e logo com uma prova de 24h, na altura fiquei fascinado pela envolvência (uma equipa de 8 com 3 horas para cada um, tarde, noite e manhã), a minha DIABETES não se coibiu de me lembrar que teria de pedalar com ELA, aprendendo a lidar com a situação, logo nesse ano com toda a sua implicação na envolvência em provas de BTT. Nesse ano como este o calor imperou, o sol é rei e mandou raios que só as muitas sombras dos pinheiros esbatiam um pouco do calor que se fazia sentir, alturas houve em que seguindo uns atrás dos outros, por entre os pinheiros, o pó fino que se levantava sufocava a respiração e a garganta.



As primeiras duas voltas foram para "bater" o terreno, dei umas dicas ao António que depressa desapareceu da minha vista, o meu amigo Pedro Roxo depois da segunda volta seguiu o seu ritmo para as 12 horas. Parei para comer uns hidratos com bolonhesa, melão fresco e nova carga de água, sempre a hidratar o corpo, o calor assim ditava e o pó fino e seco, água, ÁGUA, ÁGGUUUAAAA!!!


Nas 3ª e 4ª voltas parei sempre após completar cada uma para descansar, enchendo o bidão com água, sem ter dado insulina rápida durante o "almoço" (só dei de manhã, reduzindo as unidades em função do esforço que iria ter durante a tarde, mas com a atenção para o pequeno-almoço, evitando às 12h estar com hiper - 12:44 tinha 185mg/dL), fui medindo o açúcar entre paragens (15:59 tinha 135mg/dL).


À 5ª volta e durante uma subida - com o Pedro Maia - as cãibras apareceram, cheguei ao final dessa volta e medi o açúcar, com receio de hiperglicémia por ter "saltado" a insulina do almoço, 136mg/dL, nada de hiper mas as cãibras já me tinham quebrado o ritmo. Intrigado comi uma banana voltei a hidratar, falta de água não foi com certeza mas na minha derradeira 6ª volta as cãibras, desta vez, durante mais subidas que na volta antecessora, fazendo dar uma volta ainda mais lenta, altura em que o António me alcança, depois de me indicar que tinha caído, reparo só nuns arranhões, confirmo se está bem e mando-o seguir, já eu, terminei depois de parar para "esticar" por mais tempo alguns músculos.







O meu enteado JOBIM é uma "máquina obsessiva" com um intuito que o caracteriza, ultrapassar objetivos, desportivamente, atleta federado de natação pura acusou algum esforço nas pernas. À 4ª volta disse à mãe que parava de estoirado que estava, devorou umas coisas da geleira e ainda "caçou" mais 3 voltas, 7 ao todo.


Minhas médias; 57,95km à média de 12,70km/h durante 4:33:23min, 6 voltas durante 6:20:14min, 12 lugar.
António; 10 lugar.


Pedaladas boas,
casf

PS - Obrigado pelo apoio durante as minhas pausas, para esticar cãibras e pelas fotos do pessoal que me acompanhou.



English:

Good rides,
It was under a burning heat, that held the PT Open XCR 24H 3rd stage, now in Proenca-a-Nova, Horizontes organization home, I went for 6 hours and after 4 hours I’d just wanted forward the clock punters.

A circuit that required arm and legs forces, for almost the time, many in single tracks with technical descents, passages between pines trees - I had time to "hugged" on two - between walls of schist houses and the backs of many others, ascents which required us to project the body forward, grabbing the bar ends strongly...

Proença-a-Nova, in 2005, was my 1st time on a MTB 24H event, at the time I was fascinated by all environment (a 8 elements team with 3 hours for each one; afternoon, evening and morning) my DIABETES also reminding me I had to ride with "her", learning how to deal with booth situations, on that year I understanding the involvement of mountain biking events and DIABETES. Like that year the heat was "on fire", only the many shadows of pines trees faded the heat a little bit that was felt, there were times that followed one after other, among the pines, the fine powder suffocated throat and breathing.


The first two laps were to know the circuit details, I gave some tips to António that quickly vanished from my sight, and my friend Pedro Roxo after the second passage followed is rhythm for 12 hours. I stopped to eat some carbohydrates with Bolognese sauce, fresh melon, new load of water, constantly I hydrated the body, the heat forced us to that like the dry and fine powder in the air, water, WATER, WAATTTEEEERRRRR!

In the 3rd and 4th rounds I stopped after completing each one, resting, filling the water bottle, without giving rapidly insulin during the "lunch" time (I just gave at morning, reducing the units because the effort that I would have during the afternoon, but with especial attention to the breakfast, avoiding being with hyperglycemia at 12:00h - 12:44 was 185mg/dL), sugar was measured between stops (15:59 was 135mg/dL).

On 5th lap and during one rise - with Pedro Maia - the cramps came up, I reached to the end of these lap measuring my sugar, fearing the hyperglycemia due to "jumped" insulin lunch, I had 136mg/dL, cramps already broken my rhythm. ...Intrigued with and why, I ate a banana I hydrate again, lack of water was not for sure but in my last 6th lap cramps this time for more climbs that the return predecessor, making a walk even slower, when Antonio reaches me, indicated me he had fallen, I just look a few scratches, I confirm if he was OK and I say to him to continue to finish, me, I finished only after I stopping to "stretch" for longer time certain muscles.

JOBIM, my stepson, is an "obsessive machine" with a characteristic point; exceed his goals. Federate swimming athlete he accused some effort on his legs. After finishing 4th lap, exhausted, he told his mother that he will stopped, from the glacier he ate a lot, because of that, or not, he also "hunted" 3 more laps, seven in total, getting 10th place.


My averages; 57,95km in total, 12,70km/h on average, during 4:33:23min, 6 laps in 6:20:14min total, 12th place.
António 10th place with 14 years old and, practically, with no MTB train at all!


Rides good,
casf


PS - Thanks for your support during my breaks, to stretch the cramps and pictures of the people who accompanied me.

IV Maratona bttGARDUNHA 2011

Boas pedaladas,

video

Correu bem e ainda deu tempo para editar o meu vídeo para participar no "Acting on Diabetes. Now", promovido pela World DIABETES Day, a 14 de Novembro. Quantos mais votos mais pontos.

A preparação para esta maratona começou na noite anterior com uma hipo  ao deitar. A meio da noite acordei para mais umas bolachas.

Em jejum preparei um pequeno almoço pouco calórico, devido à noite  anterior, seguido da normal redução de unidades de insulina.

Por feitio coloco-me muitas vezes atrás da fila de partida, evitando a  confusão inicial e fazendo uma recuperação, quase sempre, nas subidas,  nesta maratona não foi excepção, mas antes das subidas da Gardunha durante  alguns kms foram percorridos por estradão em que o pó no ar fazia a sua  entrada direta pela garganta.

A primeira, de várias, passagem de uma linha de água foi antecedida  pela gravação do meu vídeo para o concurso da World Diabetes Day -  "Acting on Diabetes. Now" - numa zona em que a pedra solta fez parecer que no  final do video é a minha bike a caír, mas não, havia um aglomerado de  bikers que chegavam ao "local das filmagens".

Chegámos ao Souto da Casa a subir, aí estava localizada a 1ª Zona de  Abastecimento. Bastante caseiro devo dizê-lo, havia locais que  degustavam o que ia sendo preparado; febras grelhadas, chouriças, morcelas, vinho da  região, pão, sumos, bebida isotónica, água... Bebi um pouco de sumo acompanhando uma sandes de carne, enquanto punha  a "conversa em dia" comi uma barrita de cereais das minhas, enchi o  bidom com água e segui caminho por entre os paralelos da calçada, onde os  residentes animando e incentivando os atletas saudavam com palmas,  respondi com "BOM DIA" a, quase todos, tal não era o seu apoio para connosco.

Até Alcongosta foram fáceis e rápidas as subidas, aqui estava  instalada a 2ª ZA, onde não haviam grelhados mas sim bananas, bolos  secos, barras de cereais, água... Comi cerejas que estavam divinas e 1/2 banana, bebida  isotónica não toquei, enchi o bidom na fonte ao lado, que corria  fresca e avancei para a "parede" do percurso, esta sim, realmente "PUXA". Já na saída da  vila aproveitei, pois faltavam 20km para o total de 50km, para ingerir  o meu gel "VITARGO" - marca que me apoia no combate à hipo durante as provas de  BTT. Mesmo como gel tive de colocar os pés no chão, parecia a caminhada da única vez em que ali passei, uma rota pedestre o ano passado, decorria  a Feira dos Chocalhos.

Para nosso consolo a organização colocou-nos um "radar" nos declives  que se seguiram, bem rápido o andamento, havia sinal a informar e estou convencido, assim, como eu, que com mais força pedalaram, registando  desta maneira a nossa "velocidade". Sobretudo em estradão por entre as árvores mas havia curtas descidas bem mais técnicas.

A 3ª ZA era soberbo, vasto, nem parecia que faltavam  poucos km para o final da prova. Novamente os residentes aplaudiam  quem passava, será por isso que os da frente pedalam tão rápido ou então para serem  os primeiros a tirarem proveito do percurso; estradões, subidas,  descidas, pó, lama...

Foi o 1º ano que comparecei, faltando-me assim as referencias  comparativas mas eram vários os pontos de água e a presença da  organização - com o respectivo colete reflector - era incrível nas várias passagens de  estradas, trilhos, caminhos, só faltou mesmo na parte final, aviso  dado no brefing às 9h. Os banhos, duvido que haja alguém a fazer um reparo que seja, melhores  condições não tenho visto, igual, melhor... não!

Havia fila para o almoço quando me aproximei mas em minha opinião o  local, ao lado dos stands que apoiaram a maratona, com as "máquinas" que  nos faziam "degustavam" a entrada para o almoço, a meta ao lado com um speaker,  pouco falador sobre quem ia chegando, a musica ambiente o próprio  almoço, tudo uma DELICIA!

Uma PALAVRA a TODOS os que AJUDARAM. Um SUCESSO!

Pedaladas boas,
casf


English:


I prepare this marathon the night before, at bedtime I had a hypoglycemia. I all set a low calories breakfast because of previous nught, followed dy the normal redution of insulin units.

I often place me at the end of departure line, avoiding the start confusion, making my recovery, almost, when climbs beginning, in this Marathon was no exception, for a few kms they were in open tracks with a lot of dust in the air, made their entry directly by the throat.

The first water line passage was preceded by recording my video for the World Diabetes Day - "Acting on Diabetes. Now “ contest, in an area with very loose rocks, made it seem in the end of the video is my bike dropping, but there was a bikers group who reached the "film area".

We arrived at Souto da Casa by rising, where it was located the 1st Supply Zone. Very homey I say it, there were residents they taste what was being prepared, grilled meat, sausages, local wine, bread, juices, sports drink, water...

I drank some juice joining a meat sandwich, as I "catch up" with some friends I ate one of my cereal bar, I filled the water bottle and I follow the parallel path through the sidewalk, where residents cheering and encouraging the athletes greeted with applause, I responded with "GOOD MORNING" to almost everyone.

Until Alcongosta where it was the 2nd SZ, rises were easy and quick, weren’t grilled but bananas, biscuits, cereal bars, water... I ate great cherries and a 1/2 banana, sport drink I didn't touch, I filled my water bottle in a fountain that flowed cool and advanced for the "wall" of all track. Because at that point it was missing 20km of a total of 50km I take my "VITARGO" gel - blend that supports me fighting my hypos in mountain biking events.

The Organization had a fantastic way to comfort us, in the middle of a series of slopes they put one ”radar", to catch our "speed" and rapid progress down, I'm convinced, like me, we pedaled harder but there were short downhill techniques, very carefully the transposition.

The 3rd SZ in Val Verde village was excellent, large, it not appear to be missing a few kilometers to the finish. Again the residents encouraging the bikers, may be is because of that the front riders they go so fast, to take advantage of the route; tracks, descents, hills, dust, mud...

It was the 1st year I attended, missing in comparative references but there were several water points and the presence of the organization - with respective reflector vest - it was amazing in several passages of roads, trails, paths, just missed at the end, notice given in the briefing at 9am.

The baths, I doubt there is anyone who makes a repair of it, I haven't seen better, equal, better... no!

I line up for lunch but in my opinion the locale, next the stands that supported the Marathon, with the “machines”, next the finish line, with a speaker, talking about who was arriving, the music environment, the lunch, YUMMY!

Rides good,
casf

OBRIGADO www.novonordisk.pt

Boas pedaladas,

www.novonordisk.pt minhas canetas e insulina desde a primeira "pica".

Parceiros de luta, hoje podemos, todos os interessados no novo equipamento blue O, contar com o apoio desta marca Dinamarquesa vocacionada para os cuidados de saúde. É líder mundial nos cuidados para a Diabetes. Tem o maior portfolio nesta área, incluindo os mais avançados produtos na área de insulina e sistemas de administração.

"A Novo Nordisk é uma empresa líder em cuidados de saúde, orientada para um compromisso muito claro: ajudar as pessoas a viver as suas vidas de forma mais saudável. A nossa liderança é definida pelas nossas acções, como disso é exemplo apostar mais na pesquisa da diabetes do que qualquer outra empresa, ao mesmo tempo que interagimos com profissionais de todo o mundo para melhorar os cuidados de saúde nas diversas àreas que desenvolvemos. O nosso objectivo é claro: permitir que as pessoas vivam mais tempo, mais saudáveis e mais produtivas. É esta determinação que impulsiona o projecto NovoHealth". In site

O logótipo da Novo Nordisk

O logótipo da Novo Nordisk é o Boi Apis, um dos animais sagrados do antigo Egipto.

O boi Apis foi adorado como a encarnação de Ptah, deus criador do universo, da cidade de Memphise patrono da divindade de artesãos.

O logótipo estilizado é uma reprodução de uma estatueta egípcia que data de entre 664 a 323 aC.

É ricamente ornamentada com símbolos que representam, entre outras coisas, as dualidades da vida eterna, como por exemplo o dia e a noite, e a vida e a morte.

O boi Apis tem sido o logótipo da Novo Nordisk desde a fundação da empresa.
A escolha do logótipo segue uma antiga tradição europeia de identificar a farmácia por um símbolo animal.

Pedaladas boas,
casf